:.: Nos Estados Unidos, há quem fique de olho nas novas patentes de produtos, para tentar antecipar o que vai ser a grande novidade do século.

:.: O MacPress divulgou que o escritório de marcas e patentes publicou a mais nova patente obtida pela Apple: um sistema de reconhecimento de fala. Deu até o número, com o qual é possível obter mais detalhes: 7.149.695.

:.: O método usaria “inferência semântica” e “aglomeração de palavras”, o que, a meu ver, embora não diga muito, significaria reconhecer as palavras dentro de um contexto, e permitir que elas façam sentido quando formarem uma frase.

:.: Na justificativa, a Apple diz que a inferência semântica permite uma abordagem mais tolerante em relação à linguagem adotada pelo usuário, o que siginifica dizer que seria possível ao computador entender mesmo frases que não façam parte de uma listagem pré-definida. Por exemplo, o computador “entenderia” o comando “vamos fazer uma nova planilha” mesmo que o comando padrão, previsto originalmente, seja o uso das palavras “abra o Microsoft Excel”.

:.: O que será que isso pode representar em termos de interação com o computador? Aliás, cá pra nós, quem disse que esse tipo de recurso se limitaria ao computador, sendo a Apple quem é no setor de multimídia?

:.: E a busca, onde entra?

:.: Ao melhorar o reconhecimento de voz, não seria possível também melhorar a indexação de arquivos em áudio, o que poderia ser feito automaticamente? Pense comigo. Longos discursos, ou entrevistas, quem sabe até músicas, poderiam, por essa tese, ser melhor reconhecidos, e automaticamente classificados.

:.: Assim, muito mais arquivos em áudio poderiam estar disponíveis para consulta, e a busca na Web, ou mesmo em servidores próprios, seria muito mais fácil, não é não? E olha que nem falei das vantagens para as pessoas com deficiência…pense no que tudo isso representaria para quem não pode enxergar…